#rodadecriacao #lovlovlov
#rodadecriacao #lovlovlov

#rodadecriacao #nuon
#rodadecriacao #nuon

#rodadecriacao #semlugar
#rodadecriacao #semlugar

#rodadecriacao #lovlovlov
#rodadecriacao #lovlovlov

1/12

LOV LOV LOV | Coletivo Rumo

A partir das cartas de amor de Carmen Miranda, nasce LOVLOVLOV. Em cena, uma figura emblemática é exposta em uma vitrine. Dois atores dividem um espaço bipartido (o público tem que escolher de que lado vai ficar, A ou B) e realizam o mesmo texto na boca de um mesmo personagem. Na vitrine do que é criado para o consumo, os Carnes  mergulham em uma viagem humana e pessoal.

Direção Isabel Teixeira

Produção e Realização Coletivo RUMO

 

Roda de Criação>

Produção Local Caixa Cultural São Paulo - SP (2017)

Vivência Roda Gigante

A CAIXA Cultural São Paulo recebe, de 18 a 23 de julho, o grupo carioca Roda Gigante, em Vivência Roda Gigante - Aula-espetáculo e oficinas. O grupo apresenta seu trabalho de pesquisa ao público de São Paulo e mostra o que eles aprenderam em oito anos de convivência dentro de hospitais do Rio de Janeiro. O grupo é formado pelos artistas Cristiana Brasil, Diogo Cardoso, Eber Inácio, Florencia Santángelo, Kadu Garcia e Marcos Camelo. A programação é gratuita e as vagas são limitadas.

Produção e Realização Grupo Roda Gigante

Roda de Criação>

Produção Local Caixa Cultural São Paulo - SP (2017)

Nuon | Trupe Ave Lola

Nuon acontece em uma única noite, durante uma celebração em que no mundo budista os ancestrais são homenageados. A história mostra personagens que viveram sob o regime cruel do Khmer Vermelho, e que voltam para revisitar sua terra e suas memórias. Em especial, a peça gira em torno da personagem inspirada em Phaly Nuon, cambojana que se dedicou a salvar outras mulheres dos traumas físicos e emocionais gerados pela tortura, fome e outras mazelas dos campos de trabalhos forçados.

Texto de Direção Ana Rosa Tezza

Produção e Realização Ave Lola Espaço de Criação

Roda de Criação>

Produção Local, São Paulo - SP (2017)

Benedita

No palco, Benedita, uma velha mulher que chega numa encruzilhada, limite de seus horizontes. Ela carrega uma gigantesca trouxa na cabeça. Em meio aos panos que traz, existem roupas sujas de cores vivas. Benedita conta a historia dessas indumentárias especiais - peças que marcaram sua vida centenária de perdas, encontros, afetos, maledicências, tragédias, risos, dores. Sua apresentação é um ritual de passagem que passeia entre o trágico e o cômico para a construção de uma personagem genuinamente brasileira. Uma mulher-mito, contadora de histórias, lavadeira-curandeira-bruxa-feiticeira, em seu limite de vida. Com uma declarada relação com o misticismo e com o indizível ela perpassa o curandeirismo e a espiritualidade. Benedita tece destinos através dos casos que conta, relatando uma história arquetípica e mitológica.

Texto, direção e atuação Bruno de Sousa

Produção Local Palco Giratório, São Paulo - SP (2016)

Inútil a Chuva | Armazém Cia. de Teatro

“Inútil a Chuva” se inicia com Lotta e seus filhos (Slavoj, Claude e Sarah), uma família excêntrica, dentro de um barco a remo, tentando entender os motivos do desaparecimento do patriarca, um pintor que – justamente por desaparecer – torna-se a grande novidade do mundo das artes.

Dramaturgia: Paulo de Moraes e Jopa Moraes 

Direção: Paulo de Moraes 

Produção e Realização: Armazém Companhia de Teatro

 

Roda de Criação>

Produção Local, Curitiba - PR (2016)

Mamute | Cia do Mofo

Em MAMUTE, obra da dramaturga Dione Carlos e encenada pela Cia do Mofo, um famoso prédio de moradias no centro de São Paulo está em sua fase final de desapropriação, prestes a ser demolido. A cidade como meio de invisibilidade dos seres humanos que nela habitam. Um testemunho da solidão humana experienciada, vivenciada e assistida de forma crua, ao nos depararmos com o corpo de uma mulher encontrado dentro de seu próprio apartamento, 42 anos após a sua morte, sem que ninguém tenha sequer percebido sua ausência. 

Texto Dione Carlos

Direção Fernando Gimenes

Produção e Realização Cia do Mofo

Roda de Criação>

Produção Projeto Circulação PROAC, São Paulo - SP (2015)

Boca do Lobo | Renato Vieira Companhia de Dança

“Boca do Lobo”. O espetáculo tem como tema o “risco”, ou seja, estar em perigo, realizar experiências sem controle, aventurar-se, ao embalo da embriaguez de cada época, explorado numa interligação pulsante entre dança, artes plásticas e moda.Concepção, coreografia e direção: Renato Vieira & Bruno Cezario
Bailarinos: Bruno Cezario, Soraya Bastos, Lavinia Bizzotto, Fabiana Nunes, José Leandro e Tiago Oliveira.

 

Coreografia e Direção Renato Vieira & Bruno Cezario

Realização Renato Vieira Companhia de Dança

Roda de Criação>

Produção Local, Curitiba - PR (2013)

Savana Glacial | Físico de Teatro

“Savana Glacial”. Na trama, o casal Michel e Meg se muda com o objetivo de resgatar a vida amorosa após um acidente que deixou Meg com perda de memória recente.  No novo prédio eles conhecem a excêntrica vizinha Aghata, que transformará definitivamente a vida dos dois. Em uma espécie de metateatro, a peça conduz o espectador a um jogo entre a realidade e a ficção, cabendo ao público a interpretação da história que vê. Uma encenação de humor e suspense, onde o jogo se torna cada vez mais explícito, patético e perigoso. 


Texto: Jô Bilac

Direção: Renato Carrera

Realização Companhia Físico de Teatro

Roda de Criação>

Produção Local, Curitiba - PR (2013)

Os Catecismos Segundo Carlos Zéfiro

Escrito e dirigido por Paulo Biscaia Filho e uma fusão de artes cênicas e cinema que conta a história de um dos artistas mais obscuros e ao mesmo tempo populares da década de 1960. Carlos Zéfiro - pseudônimo do pacato funcionário público Alcides Aguiar Caminha (1921-1992) - criou uma quantidade notável de histórias sensuais, ilustradas em revistas em quadrinhos feitas com papel simples e arte final improvisada, que tiveram um grande impacto social. Revisto, no final dos anos 1990, com a programação visual feita pelo artista gráfico Gringo Cardia para o CD Barulhinho Bom (1996) da cantora Marisa Monte, Zéfiro atualmente tem sua obra reconhecida internacionalmente pela estética e grafismo inconfundíveis.

Texto e Direção paulo Biscaia Filho

Roda de Criação>

Produção Local, Curitiba - PR (2011)

Curta Metragem O Beijo da Julieta

 

Direção Kleberr Wlader

Realização Harlequin Films e Poéttica Filmes

Direção de Produção, Curitiba - PR (2008)

Curta Metragem Sofia e o Circo

 

Direção Kleberr Wlader

Realização Harlequin Films e Poéttica Filmes

Direção de Produção, Curitiba - PR (2008)

Espetáculo Beat Malaba

O espetáculo Beat Malaba se desenvolve através da inter-relação entre o malabarismo e a música, utilizando a representação como estrutura de comunicação. O trabalho mostra diferentes maneiras de tocar um instrumento percutível através dos aparelhos de manipulação utilizados na prática do malabarismo. Beat Malaba é uma mescla entre as raízes musicais brasileiras e a arte milenar do malabarismo, num universo circense contemporâneo.

Criação Yamba Canfield e Isaac Varzim

Direção de Produção, Curitiba - PR (2008)

Show Respiro

Com concepção e direção cênica de Jacqueline Daher, Direção Musical de Ulisses Galetto (grupo Fato), iluminação de Beto Bruel (Prêmio Shell 2005) e preparação vocal de Liane Guariente e Babaya, o espetáculo traz músicas de compositores de todo o Brasil, dentre eles Maurício Pereira, Dolores Duran,Ulisses Galetto, Carlos Careqa,Cláudio Menandro, Marcelo Sandmann, Benito Rodriguez, Mulheres Negras,Sandra Peres, Paulo Tatit, Gilberto Gil, Grace Torres, Rodrigo Garcia Lopes, Luiz Antônio Fidalgo e Arnaldo Antunes. 

Direção Jacquekine Daher

Produção Executiva Oficina de Música, Curitiba - PR (2007)

Espetáculo Flash Bang

Flash Bang – A Comédia de Um Homem Só é o teatro de variedades apresentado por um só ator. Do burlesco ao vaudeville, utilizando quase sempre a linguagem stand-up, Flash Bang vai do completo nonsense ao humor inteligente para contar, quase num caráter de confissão, as desventuras de um solitário-homem-ator curitibano.

Texto e Direção Hélio Barbosa

Direção de Produção, Curitiba - PR (2007-2006)

Show Pé com Pé | Palavra Cantada

Com objetivo de ampliar o acesso à música infantil de qualidade, a Palavra Cantada, com patrocínio da Petrobras, leva o show “Pé com Pé” a quatro cidades do Sul do país - Itajaí, Curitiba, Joinville e Porto Alegre. Nessa excursão, e em parceria com as Secretarias de Educação de cada cidade, serão realizados espetáculos para alunos de escolas públicas e outros abertos à comunidade, além de palestras para educadores de Paulo Tatit e Sandra Peres (Bate-papo Musical) e Ari Colares (oficinas de percussão). 

Direção Gustavo Kurlat

Realização Palavra Cantada

Produção Local Circulação Petrobrás Sul, Curitiba - PR (2007)

foto 07 - show curitiba

foto 07 - show curitiba

Mundo Perfumado | Grupo de Dança Primeiro Ato

Em Mundo Perfumado, a dança é atitude extremada do ser-estar, reinventando-se vida em cena, aguçando-se sentidos, desvelando-se impalpáveis rastros do humano pinçados em vasto mundo.

Pela circulação entre e dos sentidos entrevemos os belos, os grotescos, os cômicos, os encantadores e os trágicos de cada intérprete, no palco, representantes de alguns de nossos perfumes essenciais.

Rastros deste perfume permanecem no ar, empurrados para a platéia pelo vento furioso da música ou por brisa sutil. Depois de tanta dança e música ventando os odores do todo acontecido, fica conosco um "mundo perfumado". Aspire, aproveite, divirta-se.

Cássia Navas, Pós-doutora em Dança.

Junho de 2004.

Coreografia Alex Dias
Direção Suely Machado

 

Roda de Criação>
Produção Local, Curitiba - PR (2006)

Sem Lugar | Grupo de Dança Primeiro Ato

Com coreografia criada por Tuca Pinheiro, a montagem revela sentimentos como a solidão e o abandono na arte. A coreografia não tem a intenção de adaptar os poemas de Drummond em forma de dança, mas sim descobrir que tipo de ser humano era o poeta e, com isso, construir sua própria poesia gestual. Coletivamente os bailarinos concebem na dança seus entendimentos individuais baseados nas poesias do autor. Essa é uma característica presente no trabalho do Primeiro Ato. Durante a cena alguns personagens surgem frágeis, paradoxais e até tolos. A idéia consiste em sintetizar algumas sutilezas da vida e de atitudes práticas, levantar um questionamento existencial.

Coreografia Tuca Pinheiro

Direção Suely Machado

Roda de Criação>

Produção Local,Curitiba - PR (2006)